Um esquecimento e dois conceitos

Autores/as

  • Fabio Akcelrud Durão Universidade Estadual de Campinas

Palabras clave:

indústria cultural, autonomia estética, superprodução semiótica, mediação pelas coisas

Resumen

O presente ensaio aborda três tópicos diferentes. O primeiro é o virtual desaparecimento do horizonte da teoria literária contemporânea da ideia de que as obras de arte podem desejar ser autônomas. A politização das abordagens críticas tem levado ao esquecimento da luta que os textos fortes levam a cabo para ser eles mesmos. A segunda parte do ensaio discute a questão da super produção semiótica. Aqui se propõe que, sob as atuais condições de produção linguística, o debate qualitativo da alta vs. a baixa cultura pode ser deslocado por um quantitativo, medido pela exposição à semiose capitalista. Na última parte, lidase com o conceito de mediação pelas coisas, já desenvolvido por outros autoresna bibliografia sobre a indústria cultural, para que se torne seu contrário. Que as coisas convertamse em mídias e as mídias em coisas não é um feito da cultura, mas um sinal da supremacia da indústria.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Descargas

Publicado

2016-02-14

Cómo citar

Durão, F. A. (2016). Um esquecimento e dois conceitos. Constelaciones. Revista De Teoría Crítica, 3(3), 118–129. Recuperado a partir de http://constelaciones-rtc.net/article/view/751