Narrar o socialmente esquecido. O romance de resistência na época do terror estatal no Brasil 1964-1985

Renato Franco

Resumen


Este ensaio analisa, tendo como parâmetro teórico as análises estéticas de Theodor Adorno e a concepção de história de Walter Benjamin, como o romance produzido no período da ditadura militar brasileira (1964-1985), que desencadeou um efetivo terrorismo de Estado, foi negativamente afetado por ela. Ao mesmo tempo, procura identificar e analisar os modos como o romance reagiu ao terror estatal, em especial por meio da luta por narrar a matéria histórica recalcada, proibida: desse modo, destaca como ele, contrapondo-se à versão oficial dos acontecimentos, narrou o socialmente esquecido de maneira a reconstituir as atrocidades e os massacres ocorridos no período.

Palabras clave


literatura; resistência; narração; esquecimento; terror estatal; Teoria Crítica.

Texto completo:

PDF (Português)

Número de visitas del artículo: 49

Número de descargas: 27

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2016 Renato Franco

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Constelaciones. Revista de Teoría Crítica
ISSN 2172-9506