Crítica à psicanálise como fundamento da psicologia social da Adorno

  • José Leon Crochík Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
  • Marian A. L. Dias Departamento de Educação, Universidade Federal de São Paulo
  • Pedro Fernando da Silva Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

Resumen

Frente à diversidade de entendimentos sobre a importância da psicanálise freudiana na obra de Adorno, este artigo investiga, mediante a análise do ensaio Sobre a relação entre sociologia e psicologia, os limites da psicanálise e suas implicações para o estabelecimento de uma psicologia social. Pela análise se constatou que Adorno dirige tais críticas à psicanálise freudiana, e não apenas aos revisionistas. Identificou-se a crítica ao ‘imperialismo’ do sistema freudiano; à sua finalidade adaptativa; e a redução das determinações sociais à ‘natureza’ humana. Verificou-se ainda a necessidade de uma psicologia social analiticamente orientada capaz de estudar as condições de resistência e de adaptação individual.
Publicado
2016-11-05
Cómo citar
Crochík, J. L., Dias, M. A. L., & da Silva, P. F. (2016). Crítica à psicanálise como fundamento da psicologia social da Adorno. Constelaciones. Revista De Teoría Crítica, 7(7), 322-342. Recuperado a partir de http://constelaciones-rtc.net/article/view/1124