Crítica à psicanálise como fundamento da psicologia social da Adorno

José Leon Crochík, Marian A. L. Dias, Pedro Fernando da Silva

Resumen


Frente à diversidade de entendimentos sobre a importância da psicanálise freudiana na obra de Adorno, este artigo investiga, mediante a análise do ensaio Sobre a relação entre sociologia e psicologia, os limites da psicanálise e suas implicações para o estabelecimento de uma psicologia social. Pela análise se constatou que Adorno dirige tais críticas à psicanálise freudiana, e não apenas aos revisionistas. Identificou-se a crítica ao ‘imperialismo’ do sistema freudiano; à sua finalidade adaptativa; e a redução das determinações sociais à ‘natureza’ humana. Verificou-se ainda a necessidade de uma psicologia social analiticamente orientada capaz de estudar as condições de resistência e de adaptação individual.

Palabras clave


Adorno; psicanálise; psicologia social; Freud; teoria crítica da sociedade

Texto completo:

PDF (Português)

Número de visitas del artículo: 108

Número de descargas: 151

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2016 José Leon Crochík, Marian A. L. Dias, Pedro Fernando da Silva

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Constelaciones. Revista de Teoría Crítica
ISSN 2172-9506