Esfera pública, formação e experiência na sociedade administrada. Um diálogo com Habermas, Adorno, Negt e Kluge

Autores/as

Palabras clave:

Esfera publica, formação, experiência, Habermas, Adorno, Negt, Kluge

Resumen

No presente  artigo buscaremos apresentar algumas notas sobre as mudanças constadas na esfera pública capitalista na nas duas primeiras décadas do século XXI e suas consequências para a totalidade do processo social. Da identificação destas transformações se destaca a relação com os recentes processos de deterioração de um campo comum para o debate público, especialmente em sua dimensão política, tendo como objeto a tríade : esfera pública, formação e experiencia, que sob as condições da esfera publica burguesa, reforça e reproduz a lógica autoritária implícita na sociedade capitalista liberal, ou, segundo Adorno: a sociedade administrada. Concluímos assinalando algumas possíveis alternativas para a constituição daquilo que , na tradição da teoria critica se denominou, “contra esfera pública”.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Dr. Salim Leal, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduado em Comunicação Social pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008). Mestre em Comunicação e Cultura pela mesma instituição (2011), tendo pesquisado as relações entre a lógica cultural contemporânea e as transformações do capitalismo. Doutor em Ciências da Literatura na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Estuda a relação entre modernidade, reificação e experiência. Tem experiência em jornalismo, reportagem e produção para web TV e também em roteiro, produção e edição em audiovisual. Pesquisa as interfaces entre Comunicação, Literatura , Estética e Filosofia Social, com ênfase na produção literária e audiovisual. Áreas de interesse: Teoria da Comunicação, Teoria da Estética Teoria Literária, Filosofia Social, Indústria Cultural e Audiovisual.

Citas

ADORNO, Theodor Wiesengrund (2008): Mínima Moralia: reflexões a partir da vida lesada. Rio de Janeiro: Beco do Azougue Editorial.

ADORNO, Theodor Wiesengrund (1995): Educação e Emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

ADORNO, Theodor Wiesengrund (2010): “Teoria da semiformação”. In: PUCCI, B.; LASTÓRIA, L. A. C. N.; ZUIN, A. A. S. (Orgs.). Teoria crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 7-40.

ADORNO, Theodor Wiesengrund; HORKHEIMER, Max (1985): Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

ADORNO, Theodor W. & al. (1950): The Authoritarian personality: studies on prejudice. New York: Harper & Brothers.

BANDEIRA, Belkis; OLIVEIRA, Avelino de (2012): Formação cultural e semiformação: contribuições de Theodor Adorno para pensar a educação hoje. Educação, Porto Alegre, v. 35, n. 2, 225-232.

BENJAMIN, Walter (1994a): “Experiência e pobreza”. In: Id. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 114-119.

BENJAMIN, Walter (1994b): “O autor como produtor”. In: Id. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 120-136.

CADEMARTORI, Daniela Mesquita Leutchuk de; NETO, Elias Jacob de Menezes (2013): Poder, Meios de Comunicação de Massas e Esfera Pública na Democracia Constitucional. Revista Sequência (Florianópolis), n. 66, jul., 187-212

Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/seq/n66/08.pdf. Acesso em: 21.02.2021.

DEBORD, Guy (2003): A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

FLICKINGER, Hans-Gyorg (2011): “Herança e futuro do conceito de formação”, Educação e Sociedade, Campinas, v. 32, n. 117, 151-167,

Disponível em: www.scielo.br/pdf/es/v32n114/a10v32n114.pdf. Acesso em: 05.05. 2012.

FLUSSER, Vilém (1985): Filosofia da caixa preta: ensaios para um futura filosofia da fotografia. São Paulo: HUCITEC. Disponível em: https://cultureinjection.files.wordpress.com/2018/12/FLUSSER-Vil%C3%A9m-Filosofia-da-caixa-preta.pdf. Acesso em: 20.03.2020.

GARCIA, André Spuri; PEREIRA, José Roberto; ALCÂNTARA, Valderi de Castro; PRADO, José Willer do (2019): “Produção científica sobre esfera pública: um estudo bibliométrico em múltiplas áreas do conhecimento (1970-2015)”, Revista Administração Pública e Gestão Social. Universidade Federal de Visoça. 11(1), 2-15.

Disponível em: https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/5395. Acesso em: 20.03.21

HABERMAS, Jürgen (2000): O discurso filosófico da modernidade. 3. ed. Lisboa: Dom Quixote.

HABERMAS, Jürgen (1984): Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

JAMESON, Fredric (1997): O marxismo tardio: Adorno, ou a persistência da dialética. São Paulo: Boitempo Editorial.

JAMESON, Fredric (1992): “Periodizando os anos 60”. In: Buarque de Hollanda, Heloisa (Org.). Pós-modernismo e política. Rio de janeiro: Rocco.

JAMESON, Fredric (2002): Pós-Modernismo: lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática.

KLUGE, Alexander (1981-1982): “On Film and Public Sphere”, New German Critique. Nova York: Telos Press, n. 24/25, Special Double Issue on New German Cinema, 206-220.

LUTZE, Peter C. Alexander (1998): Kluge: the last modernist: Cinema Impure: An Eclectic Modernist Style. Detroit: Wayne State University Press.

NEGT, Oscar; KLUGE, Alexander (1999): O que há de político na política?: relações de medida em política – 15 propostas sobre a capacidade de discernimento. (Tradução João Azenha Júnior). São Paulo: Fundação Editora da UNESP (FEU).

NEGT, Oscar; KLUGE, Alexander (1993): Public sphere and experience: toward an analysis of the bourgeois and proletarian public sphere. Minnesota: University of Minnesota Press.

RAMOS-de-OLIVEIRA, Newton (1998): “Reflexões sobre a vida danificada”. In: Zuin, A. A. S. (Org.). A educação danificada: contribuições à teoria crítica da educação. 2. ed. Petrópolis/Vozes; São Caros/UFSCar, 13-44.

ROLDAN, Eugenia (2017): Alexander Kluge y Theodor W. Adorno: Industria Cultural, Cine y Contraesferas Públicas. In: Trans/Form/Ação, Marília, v. 39, n. 4, 197-218, dez. 2016.

RUSCHEL, Maria Helena (1995): “Glossário”. In: Adorno, Th. W. Palavras e sinais: modelos críticos 2. Petrópolis: Vozes, 237-253.

SUAREZ, Rosana (2005): “Nota sobre o conceito de Bildung (formação cultural)”, Kriterion, Belo Horizonte, nº 112, Dez, 191-198. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-512X2005000200005. Acesso em: 05.05.2019.

TÜRCKE, Christoph (2010): Sociedade excitada: filosofia da sensação. Campinas: Editora da Unicamp.

WEBER, José Fernandes (2006): “Bildung e educação”. Educação e Realidade, Porto Alegre, UFRGS, 31(2), 117-134, Disponível em: https://www.redalyc.org/html/3172/317227044008/. Acesso em: 30.07.2018.

WOOD, Ellen Meiksins (1996): “Em defesa da História: o marxismo e a agenda pós-moderna”, Crítica Marxista, São Paulo, Brasiliense, v.1, n.3, 118-127.

ZUIN, Antônio Álvaro Soares; GOMES, Luiz Roberto (2019): A formação da subjetividade na Idade Mídia. Revista Eletrônica de Educação, UFSCar, v. 13, n. 2, 377-387. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3350/828. Acesso em: 25.06.2019.

ZUIN, Antônio Álvaro Soares; ZUIN, Vania G (2017): “A atualidade do conceito de semiformação e o renascimento da Bildung”, Espaço Pedagógico, v. 24, n. 3, Passo Fundo, 420-436. Disponível em: www.upf.br/seer/index.php/rep. Acesso em: 15.05.2018.

ZUIN, Antônio Álvaro Soares (2001): “Sobre a atualidade do conceito de Indústria Cultural”, Cadernos. CEDES [online]. Campinas (SP), vol. 21, n. 54, 9-18. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622001000200002. Acesso em: 10.05.2019.

Publicado

2022-01-08

Cómo citar

Loureiro, R., & Salim Leal, C. A. . (2022). Esfera pública, formação e experiência na sociedade administrada. Um diálogo com Habermas, Adorno, Negt e Kluge. Constelaciones. Revista De Teoría Crítica, (13). Recuperado a partir de http://constelaciones-rtc.net/article/view/4300